Por que um seguro para caminhão é tão necessário?

Ser caminhoneiro no Brasil é enfrentar uma série de riscos na estrada. Além do risco das viagens, como acidentes, o caminhoneiro ainda enfrenta perigos extras, como os assaltos. Apenas no Rio de Janeiro, um dos estados com maior número de ocorrências de roubos de caminhões no país, foram 9.182 caminhões e cargas roubadas em 2018. Esse número representa, praticamente, uma ocorrência por hora.

O número de acidentes também é alto. A PRF registrou, somente em rodovias federais, mais de 69 mil acidentes em 2018. Cerca de 30% desses acidentes envolvem caminhões.

Além dos riscos citados acima, ainda existem outros percalços enfrentados pelos caminhoneiros, como a venda de seguros que não são tão seguros. Aqui, entra o caso das cooperativas ou associações de seguro.

Elas funcionam por meio de um conjunto de associados, reunidos para criar uma poupança em dinheiro, para ser usada em caso de sinistro com o caminhão de algum dos cooperados.

Essas cooperativas oferecem preços considerados baixos, com a promessa de o cliente ter a mesma proteção que em uma seguradora. Porém, esse tipo de serviço, muitas vezes, não oferece garantia de que o seguro será realmente pago quando for necessário.

Ou seja, se acontecer qualquer problema e houver a necessidade de utilizar o seguro, o caminhoneiro pode não receber, e se receber, a indenização pode demorar muito tempo para ser paga.

Por isso, para se ter tranquilidade, é preciso contar com um seguro que seja de fácil contratação, e que esteja presente quando for necessário.

A melhor opção é contratar seguros com seguradoras de renome, com uma grande carteira de clientes, que ofereça a proteção que o caminhoneiro precisa, e também ofereça serviços, como guincho e outros, que são tão necessários no caso de um sinistro.

A forma ideal de encontrar esses seguros de confiança é pesquisar, conversar com quem já possui um seguro, saber sobre o pagamento das indenizações, se é feito corretamente e em um prazo curto.

Seguro tem que ser feito com quem entende.

Fonte: Blog do Caminhoneiro, especial para o Pamclube